Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Transporte Sentimental



Domingo, 30.03.14

para fernando venâncio - as gralhas e etc

Image.jpg


Fernando Venâncio chamou a atenção no Facebook para a lamentável troca de um verso de um poema de Luís de Camões («apagada e vil tristeza»)como se fosse da autoria de Alexandre O´Neill, (1924-1986) o autor, isso sim, do livro «Feira Cabisbaixa». Pois a observação de Fernando Venâncio despertou em mim a memória de um lapso não igual mas parecido surgido na edição (1974) feita pela Editora Sá da Costa do livro «Sagrada Esperança» de Agostinho Neto. Na página 16 o texto de apresentação refere uma série de autores franceses e no fim dessa lista um tal André Mauriac. Que não existe e isso é óbvio. Existe sim um François Mauriac (1885-1970) e um André Maurois (1885-1967) cujo nome civil era, por acaso, Émile Hersog. O primeiro foi romancista, escreveu nos jornais e nas revistas (Figaro, L´Express, Cahiers, Table Ronde) e obteve o prémio Nobel da Literatura em 1952. O segundo tornou-se conhecido pelas suas biografias romanceadas de Marcel Proust em 1949 e de Disraeli em 1928. O texto que refere por engano o nome de um autor inexistente – André Mauriac – está assinado por Marga Holness e é precedido de um prefácio de Basil Davidson. Este livro é especial até porque está autografado por Agostinho Neto, ele mesmo, na data de 15 de Janeiro de 1975. Desconheço as circunstâncias de como este livro me chegou à mão até porque escrevi um prefácio para um livro da sua viúva Maria Eugénia Neto e nessa altura trocámos alguns livros. Mas até pela gralha é um livro especial. Gralha ou algo mais pois trocar Mauriac por Maurois não é para qualquer um. Só mesmo um grande acaso proporciona uma confusão como esta. José do Carmo Francisco --

Autoria e outros dados (tags, etc)

por José do Carmo Francisco às 14:36



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031





Visitas