Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Transporte Sentimental



Terça-feira, 16.09.14

cantata para a casa vazia na pátria da chuva - a fernando alves

Image.jpg


Na Atalaia da Barroca só há dois Mundos – o vegetal e o mineral. Figos, amoras maduras, pedras partidas, pinheiros jovens. E água, a água da ribeira logo ali, entre as pedras e o verde que a esconde mas não apaga o seu som cadenciado. Logo agora, quando chegou o asfalto negro das Atalaias à estrada nova de Oleiros, agora é que a casa parece ainda mais vazia. Os serviços municipalizados de águas levaram a torneira desta fonte pública e desligaram a água com origem na barragem das Corgas. Já cá não vive ninguém na Atalaia da Barroca. Até há pouco tempo o «tio Portalegre» passava o dia na horta, cozia umas couves com feijões ao lume da casa numa panela antiga e regressava ao fim da tarde, com a carroça e o burro, à Atalaia do Ruivo. A mãe do Sebastião vinha todos os dias alimentar as galinhas mas tudo isso acabou. Hoje o Mundo da Atalaia da Barroca respira de outra maneira: ouve-se o ruído dos automóveis, na estrada nova quase em cima da casa, ouve-se o salto da água nas pedras em baixo mas as casas continuam vazias, os moínhos de pedra parados, as adegas inúteis, os caminhos velhos sem ninguém, na glória das silvas. Meu sogro João Ribeiro (1915-1983) gravou na pedra da casa dos animais um nome e uma data - «João 1930». Nesse tempo havia pão, vinho, azeite, mimos da horta, batatas no lameiro, a salgadeira cheia até ao Verão. Quando foi incorporado no serviço militar em 1936, João Ribeiro foi para Estremoz e disse adeus à Atalia da Barroca. Hoje, em Setembro de 2014, tudo o que gravou na pedra permanece e ao fim de quatro dias choveu toda a noite na pátria da chuva. Os figos na árvore acabaram por apodrecer todos e a caixa vai vazia para Lisboa. Como vazia ficou a casa na Atalaia da Barroca. --

Autoria e outros dados (tags, etc)

por José do Carmo Francisco às 09:22



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930





Visitas