Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Transporte Sentimental



Quarta-feira, 25.02.15

a «rolha do tanque» e o «fângio da agualva»

Image.jpg


A cena insólita parecia saída de um filme português dos anos 40 a preto e branco. Tipo «O pátio das cantigas» ou «A canção de Lisboa». Ou ainda «O feitiço do Império». Adiante. A mulher era muito pequenina e não chegava ao balcão mas picava o marido: «Vamos participar!». O marido, sonso, repetia o verbo antigo e de ressonância bolorenta: «Vamos participar!». Mas a menina do balcão do Hospital argumentava com um contacto telefónico estabelecido sem sucesso às 19 e 10 para saberem se o casal ainda vinha à consulta das 19 horas. Sem sucesso: o Fãngio da Agualva insistia na ideia de que a conduzir o carro não podia atender. Mas não passou o telemóvel à mulher. Entretanto já eram 19 e 20 tendo a médica ido à sua vida. Pois o casal continuava na sua, fingindo julgar que o Mundo à sua volta dependia de si, das suas acções e das suas palavras. O uso de «Vamos participar!» e do «carro» em vez de automóvel cheiram a velho. Por pouco as pessoas que foram obrigadas a aturar este casal (a rolha do tanque e o Fângio da Agualva) não ouviram outras palavras daquele tempo como papel selado, chefe de posto, cantina, tabanca ou selos fiscais. Afinal um mundo antigo no qual este casal estranho punha e dispunha das vontades dos outros que tinham o azar de viver perto da sua zona de influência. Entretanto chegaram as 19 e 25. Sempre a reclamar contra tudo e contra todos menos contra eles que chegaram 20 minutos mais tarde a uma consulta marcada para as 19 horas, o casal lá saiu zangado e a prometer vingança: «Vamos participar!». A mulher pequenina e o homem que não atende chamadas a conduzir e do alto do que julga ser a sua importância nem pensa que pode ser alguém do Hospital a perguntar se está perto. O casal perdido no tempo. A rolha do tanque e o Fângio da Agualva. Coitados… --

Autoria e outros dados (tags, etc)

por José do Carmo Francisco às 09:13


1 comentário

De João Moreira a 25.02.2015 às 12:16

Um palhaço que se preocupa tanto com as gralhas dos outros não sabe que o nome do piloto de Fórmula 1 não leva acento. Ainda por cima dumas vezes mete o til e doutras o circunflexo. És um arrogaNtezinho medíocre ó Kármico Chico.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728





Visitas